O tenor desastrado e outras calamidades [Raul Drewnick]

De um dos três tenores conta-se que, cantando na cerimônia de sepultamento de um amigo, o fez com tanto vigor que suas amígdalas foram aterrissar no colo do defunto, que, assim inusitadamente acordado, as recolheu com enojada precisão e lançou a pergunta óbvia: mas nem morto se consegue ter sossego? *** O poeta anda ranzinza. […]

O tenor desastrado e outras calamidades [Raul Drewnick]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.