Vem aí a bolsa-farda

Que a vida está difícil diante dos frequentes cortes do orçamento para bolsas de estudo financiadas com dinheiro público, os pesquisadores brasileiros já sabem. Mas, se o bolsista for das Forças Armadas, o cenário é mais promissor. Dois programas de pesquisa estão sendo desenhados pelo Departamento de Ensino do Ministério da Defesa e pelos comandos das três Forças (Exército, Marinha e Aeronáutica) com o intuito de enviar pesquisadores civis e militares ao exterior para desenvolver estudos em áreas consideradas estratégicas, como espacial, nuclear, de biossegurança, cibernética e de estudos estratégicos. Chamados de Propex-Defesa e Pró-Estratégia, os programas para pesquisador visitante, doutorado-sanduíche e pós-doutorado preveem custos que somam cerca 300 mil dólares por aluno, por ano (o equivalente a 1,6 milhão de reais anuais). Estarão aptos a concorrer às bolsas pesquisadores ligados aos institutos de pesquisa das três Forças, sejam eles civis ou militares, embora os montantes mais elevados estejam destinados apenas aos bolsistas de farda. A piauí teve acesso ao conteúdo de sete reuniões entre as Forças e a Defesa sobre a viabilização dos programas, ocorridas entre abril de 2020 e maio de 2021. O edital está em fase de minuta e os últimos detalhes estão em discussão na Defesa. Se for aprovado do jeito que está, cria uma distorção: pesquisadores civis e militares enviados por meio desses programas viajariam em condições de financiamento bem diferentes. O pesquisador militar, com a ajuda milionária do projeto das Forças, teria renda de 133 mil mensais (já incluído aqui seu salário). Um professor civil de uma instituição militar interessado em participar do projeto precisaria ser financiado pelas agências de fomento à pesquisa, como a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que oferecem bolsas anuais de até 30 mil dólares (o equivalente a 160 mil reais). Esse valor está no mesmo patamar do que é pago a pesquisadores de universidades públicas, que, além do auxílio no exterior, também continuam recebendo a integralidade de seus salários no Brasil durante todo o período de estudos. Num exemplo hipotético, um professor titular de uma universidade federal (salário inicial de 16,5 mil reais) que ganhe uma bolsa no valor máximo (160 mil por ano, 13,3 mil mensais) teria renda mensal de 30 mil – menos de um quarto do pacote proposto para o pesquisador militar.

Fonte: Vem aí a bolsa-farda

Chinatown & Toronto’s west end — the lazy photographer

The above four images are all found photos, discovered while digging through my archives. Back then (a decade ago) I often came home with a shitload of images in my camera. So many that I’d only have time to skim the newly created folder and cherry pick the best of them to edit and share. […]

Chinatown & Toronto’s west end — the lazy photographer

O PIB cresce 1,2% enquanto pandemia avança e desemprego e pobreza batem recordes no Brasil. Por que? — Luíz Müller Blog

Se o PIB no Brasil cresceu, por que aumentou assustadoramente a pobreza dos que enfrentam a luta contra o Covid-19 nas ruas indo ao trabalho ou procurando-o para sobreviver?? Apresentadores da Globo pareciam estar passando por um orgasmo ao noticiarem o tal “aumento do PIB”. Mas não parece ter algo errado nesta conta? Se o […]

O PIB cresce 1,2% enquanto pandemia avança e desemprego e pobreza batem recordes no Brasil. Por que? — Luíz Müller Blog

Moscow among top 3 cities worldwide for tackling Covid-19 crisis while keeping life going & economy open, Ernst & Young says — RT – Daily news

Moscow dealt with Covid-19 better than almost every major city in the world by allowing businesses to remain open, avoiding mass unemployment, and preventing an economic catastrophe, all while keeping the virus under control. That’s according to British consultancy company Ernst & Young (EY), which placed the Russian capital in the top three, behind Oslo…

Moscow among top 3 cities worldwide for tackling Covid-19 crisis while keeping life going & economy open, Ernst & Young says — RT – Daily news

Brasil: Paciente em Estado de Negação — Blog Cidadania & Cultura

Amália Safatle (Valor, 21/05/21) escreveu reportagem com certa repercussão. O Brasil já nutria uma péssima autoimagem, que agora está evoluindo para um comportamento autodestrutivo. Fosse o Brasil uma pessoa, dificilmente se levantaria do berço esplêndido para se deitar em um divã. É preciso admitir a existência de problemas para buscar um tratamento psicanalítico, mas esse […]

Brasil: Paciente em Estado de Negação — Blog Cidadania & Cultura

536 est la pire année de tous les temps — Dandanjean

Qu’est-ce qui fait de l’année 536 une si mauvaise année? Une pandémie globale? Un cataclysme naturel? Des guerres sans merci? Des révolutions sanglantes? 536, c’est en fait un beau mélange de tout ça. Un cocktail particulièrement fort de catastrophes et d’instabilité. Pourquoi 536 est la pire année de tous les temps | L’Histoire nous le […]

536 est la pire année de tous les temps — Dandanjean

“O pecado da sedutora é maior que a do seduzido”: colégio de MG dita como mulheres devem se vestir

Uma escola particular em Minas Gerais por tentar ditar como mulheres devem se vestir e atribuindo a culpa do assédio ao modo como elas se vestem. “Quando a mulher decide expor partes do corpo que deveriam estar cobertas se torna uma sedutora, partilhando assim a culpa do homem. De fato, os Teólogos ensinam que o […]

Fonte: “O pecado da sedutora é maior que a do seduzido”: colégio de MG dita como mulheres devem se vestir

‘Insanidade’: Copa América no Brasil pode agravar terceira onda e ‘caldeirão’ de variantes – BBC News Brasil

Depois da recusa da Argentina e Colômbia, Conmebol disse que Brasil aceitou sediar Copa América, mas ministro da Casa Civil afirma que evento ainda está em negociação.

Fonte: ‘Insanidade’: Copa América no Brasil pode agravar terceira onda e ‘caldeirão’ de variantes – BBC News Brasil