Temer e as entranhas do toma-lá-dá-cá da política brasileira

Meedito

D. Corleone, protagonista da obra de Mario Puzo, O Poderoso Chefão, que virou clássico do cinema, dizia que o traidor é quem convoca a reunião entre os inimigos. Bingo, deu Temer outra vez.

Durante décadas Temer conseguiu esconder o verdadeiro papel que exerce no política nacional, mas sua função ficou evidente desde a carta pessoal que enviou à Dilma Rousseff, quando concordou que o pedido de impeachment da presidente fosse aceito pelo Congresso Nacional, na qual manifestou seu ressentimento:

Passei os quatro primeiros anos de governo como vice decorativo. A Senhora sabe disso. Perdi todo protagonismo político que tivera no passado e que poderia ter sido usado pelo governo. Só era chamado para resolver as votações do PMDB e as crises políticas“. Ele havia feito um acordo com Eduardo Cunha pelo afastamento de Dilma da Presidência da República.

As engrenagens que se moviam nos bastidores recebiam comandos de…

Ver o post original 977 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.