Leitura | A trilogia de Nova York

"O mundo das coisas ao meu redor..."

Capa maravilhosa de Art Spiegelman (o mesmo de Maus)

Quando tirei esse livro da estante, estava em busca de um bom livro policial. Fazia já um tempinho que não lia nada desse gênero, então me pareceu uma boa oportunidade. Lógico que me enganei. O que Paul Auster faz em A trilogia de Nova York é algo muito mais elaborado do que uma simples trama policial. Para mim, é um complexo e muito bem feito suspense psicológico.

Uma estrutura aparentemente simples

De início, encarei as três histórias como independentes entre si. “Cidade de vidro”, “Fantasmas” e “O quarto fechado” foram originalmente publicadas em separado, pelo que soube, e só mais tarde os editores tiveram a ideia de reunir tudo em um só volume.

A grata surpresa é – alerta para spoiler! – entender no fim da leitura que as três partes se completam e formam um todo de sofisticada constituição…

Ver o post original 362 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.