silentium — bálsamo benigno

Ainda não é nascida,É só canção e poesia,E está em plena harmoniaCom tudo o que é vida. O seio da onda arfa em paz,Mas como um louco brilha o diaE a espuma pálido-lilásJaz no azul-névoa da bacia. Que em meus lábios pairasseA quietude originalComo uma nota de cristalPura desde que nasce! Volve à poesia e […]

silentium — bálsamo benigno

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.