adeus, adeus — Umumbigo

Ribeiros mansos, uma vista de açoteias enquanto se apaga os vestígios do erro a coragem de um copo de vinho entornado paz satisfeita, crer na infalibilidade no fim do sono intermitente crer nas leis da aritmética adestrar olhos desorientados desorbitados cortar os caules a essas flores  desvairadas conter movimentos desarticulados cantando à tontura e ao […]

adeus, adeus — Umumbigo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.