Rio de Janeiro. Brasil. Vida Botequim — A festa é boa para pensar.

É hoje a estreia de VIDA BOTEQUIM!Homenagem a três bares referência da resistência política e cultural no Rio de Janeiro: Barbas, Bip Bip e Bar do Omar. Transmissão simultânea no YouTube (canal Mario Lago Filho e canal Coletivo Sindicato do Samba) e no Facebook (Jorgito Sapia). Venham tomar umas com a gente. Apresentação, Jorgito Sapia, […]

Rio de Janeiro. Brasil. Vida Botequim — A festa é boa para pensar.

‘Por que queremos voltar ao mesmo mundo que destruiremos em alguns anos?’, questiona Nobel da Paz — BBC Brasil – Notícias, vídeos, análise e contexto em português

Muhammad Yunus, o ´banqueiro dos pobres´, acredita que a circunstância atual nos oferece a oportunidade de mudar um sistema baseado no interesse próprio por um que se baseia no bem coletivo, em vez de retomar modelo econômico e ecológico que ruma ao colapso.

‘Por que queremos voltar ao mesmo mundo que destruiremos em alguns anos?’, questiona Nobel da Paz — BBC Brasil – Notícias, vídeos, análise e contexto em português

Domingo: espelho da semana — UAÍMA

* @1. Normalmente, a infância é um caminho cheio de surpresas, algumas ficarão retidas para sempre, até que um dia reapareçam, ou não, mas lá estarão elas, prontas para acordar. Se alguém não se lembra de sua infância, algo está fora de prumo, ela nos ajuda, mas só com muito esforço, só com muita persistência, […]

via Domingo: espelho da semana — UAÍMA

Domingo: espelho da semana — UAÍMA

* @1. Normalmente, a infância é um caminho cheio de surpresas, algumas ficarão retidas para sempre, até que um dia reapareçam, ou não, mas lá estarão elas, prontas para acordar. Se alguém não se lembra de sua infância, algo está fora de prumo, ela nos ajuda, mas só com muito esforço, só com muita persistência, […]

via Domingo: espelho da semana — UAÍMA

Olhai os delírios do ‘trampo’ — UAÍMA

LAVOURA ARCAICA // ARCAIC PLOUGHING or To The Left of the Father É um filme que traduz bem a força e a elegância desta novela do escritor Raduan Nassar, uma obra que se tornou uma referência literária nacional e internacional, um livro para além das pobres dimensões bíblicas, para lá de mundanismo, do amor em […]

via Olhai os delírios do ‘trampo’ — UAÍMA

Viés de Associação — Cidadania & Cultura

Rolf Dobelli, no livro “A arte de pensar claramente”, afirma que nosso cérebro é uma máquina de fazer associações. Como princípio básico, é bom que seja assim: se erramos, em tese, evitamos repetir o erro; se acertamos, repetimos, e repetição é aprendizagem. Assim, via tentativas-e-erros, surge o conhecimento teórico e prático. Entretanto, assim também surge […]

via Viés de Associação — Cidadania & Cultura

Viés de Omissão — Cidadania & Cultura

Rolf Dobelli, no livro “A arte de pensar claramente”, diz que tanto a omissão de socorro quanto o homicídio doloso, ambas atitudes configuram um crime. No entanto, algum sentimento nos diz que a omissão é menos grave. Esse sentimento é chamado de viés de omissão (omission bias). Ele ocorre quando tanto uma omissão quanto uma […]

via Viés de Omissão — Cidadania & Cultura

Viés da Atribuição — Cidadania & Cultura

Rolf Dobelli, no livro “A arte de pensar claramente” diz que uma regra vigora nas redações dos jornais: “Não há história sem rosto”. Os jornalistas (e seus leitores) são culpados pelo viés fundamental de atribuição. Ele designa a tendência a superestimar sistematicamente a influência de pessoas e a subestimar fatores externos e situacionais quando se […]

via Viés da Atribuição — Cidadania & Cultura

Aversão à Perda — Cidadania & Cultura

Rolf Dobelli, no livro “A arte de pensar claramente”, sugere: em uma escala de 1 a 10, pense em como se sente hoje. Acrescente a isso duas perguntas: Primeira: o que aumentaria sua felicidade ao grau 10? Talvez um apartamento na Côte d’Azur, para passar as férias, com o qual você já sonha faz tempo? […]

via Aversão à Perda — Cidadania & Cultura

Fascismo com a complacência nacional | Brasil 24/7

“Cabe perguntar: onde estão os editoriais dos grandes jornais contra a violência que atingiu a caravana de Lula?”, questiona o cientista político Aldo Fornazieri; “Por que a OAB, a presidência da República, a presidência do STF, as presidências das Casas Legislativas, o Ministério da Justiça, o Ministério da Segurança Pública e o Ministério Público Federal não se pronunciaram até agora? Por que o “democrata” Fernando Henrique Cardoso silencia ante esses ataques fascistas? Por que os pré-candidatos Alckmin e Rodrigo Maia não emitem nenhuma palavra sobre essa violência política? Onde estão todos? Estão com medo? São coniventes? Ou são cúmplices?”, critica Fornazieri

Fonte: Fascismo com a complacência nacional | Brasil 24/7