“TU É GAY EU SEI”, DIZ O NOVO SAMBA SOBRE FELICIANO

“TU É GAY EU SEI”, DIZ O NOVO SAMBA SOBRE FELICIANO

:

 

“Sai do armário, desce pra avenida, bota batom e põe laço de fita, libera a louca sem engano, para ser feliz, Feliciano”, diz a letra da canção de João Suplicy, filho da ministra da Cultura, Marta Suplicy, que ironiza o projeto de cura gay proposto pelo deputado Pastor Feliciano PSC-SP); confira o vídeo postado no YouTube

 

28 DE JUNHO DE 2013 ÀS 07:18

 

247 – O compositor João Suplicy, filho da ministra da Cultura, Marta Suplicy, compôs um samba e um vídeo hilariante sobre o deputado Pastor Feliciano (PSC-SP), que defende o projeto da cura gay.

Na canção, chamada “Para ser Feliciano”, ele pede que o deputado saia do armário e assuma sua suposta homossexualidade. “Sai do armário, desce pra avenida, bota batom e põe laço de fita, libera a louca sem engano, para ser feliz, Feliciano”, diz a letra.

Confira o vídeo postado no YouTube:

 

 

COMENTÁRIOS

5 comentários em “”Tu é gay eu sei”, diz o novo samba sobre Feliciano”

  1. joao 28.06.2013 às 08:19

    Dizer que ser gay é ser normal, não sei, acho que não, gay foge de longe da normalidade, gay é diferente. Definitivamente, não é normal. Se é uma doença (social), algum desvio psicológico, não sei, mas é possível. Acredito que não há nenhum estudo sério que desvenda isto. Respeito, sim. Deve haver. Preconceito não, nunca, deveria ocorrer. Da mesma forma que se deve respeito aos evangélicos, aos judeus e a qualquer credo. Respeito aos pobres, aos índios, às raças, às putas. Agora, não acho justo, PRINCIPALMENTE A REDE GLOBO, buscar, criar o mito do “gay herói” em suas telenovelas e programas de tv”. gay é gay e pronto. Se o cara, ou a cara e vice versa quiserem sair do armário, que saiam, se quiserem ficar no armário que fiquem. Que, quem fez esta opção carregue sua bandeira e sua cruz e que não adianta a GLOBO, O GOVERNO, O PT ou qualquer outro partido defenderem. Aliás,, não li o projeto. Não sei o seu formato, seu conteúdo. Mas, mais uma vez, acho que muitos gays “SOFREM” e talvez, no fundo e no fundo “não quisessem ser gay”. Imaginem, a título de exemplo. Um pessoa, gay, frágil e que nasce nos seio de uma família mineira, ultraconservadora e não tem coragem de assumir, mas por um ou outro motivo sofre com isto. Muito, certo que esta pessoa terá desvio comportamentais, no mínimo carregar em se uma tristeza grande… o que teria demais se houvesse, este rapaz direito à um psicólogo???

  2. Giuliano Germano 28.06.2013 às 08:06

    Achei muito engraçado o video esse deputado leva todo jeito hehe. Parabéns João

  3. Leo 28.06.2013 às 07:51

    Sempre tenho atacado o Feliciano pela suas demagogias e charlatarismos na religião,existem muitos gays que não se aceitam e deveriam procurar não a cura que não existe e sim forças psicologia onde teria ajuda para se entender melhor e se aceitar,mais a Mídia é tão perigosa que conseguio jogar o projeto de lei como sendo do Deputado Feliciano quando na verdade foi do DEPUTADO JÚLIO CAMPOS(PSDB-Goias) ate nisso a mídia PIG proteje os Tucanos.

  4. 28.06.2013 às 07:45

    FELICIANO EU TENHO UMA PEC QUE É ACURA GAY NA CERTA PRA AMBOS OS SEXO A PEC 69.APROVA AI QUE FICA TODO MUNDO CURADO.

  5. Henrique 28.06.2013 às 07:24

    Peraí bicho! O tal de “cura gay” é o Projeto de Decreto Legislativo 234/2011 do Deputado Júlio Campos (PSDB-GO). Você e a mídia estão escondendo a autoria do projeto, o PSDB, e deixa o Feliciano como boi de piranha! O partido autor do cura gay é o PSDB!!!!!!!! Repassem!!!!!

FELICIANO…. SAI DESSE CORPO QUE NÃO TE PERTENCE.

FELICIANO…. SAI DESSE CORPO QUE NÃO TE PERTENCE… SÓ PODE ESTAR POSSÚIDO!! :O
——–
Marco Feliciano ameaça ‘rebelião’ se governo interferir no projeto ‘cura gay’
.
Com um discurso inflamado, o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Marco Feliciano (PSC-SP), ameaçou nesta quarta-feira (19) uma rebelião da bancada evangélica –composta por 80 deputados– caso o governo interfira na votação do projeto conhecido como “cura gay”. A mensagem foi dita quando o deputado chegava para uma audiência pública da comissão.

Ao negar que a votação da proposta tenha sido uma provocação às manifestações que tomam as ruas de vários Estados, o deputado disparou ataques a ministra Maria do Rosário (Direitos Humanos) que prometeu mobilizar o governo para evitar que a proposta avance na Casa.

Feliciano recomendou “juízo para a dona ministra”, disse que ela “mexe onde não devia” e recomendou que ela procure a presidente Dilma Rousseff porque “o próximo ano” tem eleições.

O projeto permite a psicólogos oferecer tratamento para a homossexualidade –a chamada “cura gay”, segundo os críticos da ideia, e terá que passar por outras duas comissões da Casa. Feliciano nega que a proposta tenha essa linha.

“O governo sempre tenta barrar [projetos]. Isso acontece com todos os projetos, não é somente com esse. É o jogo político”, disse. “Queria aproveitar e mandar um recado: dona ministra Maria do Rosário dizer que o governo vai interferir no Legislativo é muito perigoso. É perigoso dona ministra principalmente porque ela mexe com a bancada inteira”, afirmou.

Segundo o deputado, a ministra deveria procurar a presidente Dilma Rousseff antes de falar. “A ministra falar que vai colocar toda máquina do governo para impedir um projeto. Acho que ela está mexendo onde não devia, senhora ministra juízo, fale com a sua presidente porque o ano que vem é político”, completou.

Em 2010, a campanha presidencial foi para segundo turno, sendo que um dos motivos apontados foi a onda de boatos entre eleitores religiosos contra Dilma.

Ontem, a ministra condenou a votação da matéria na comissão. “O projeto significa um retrocesso na medida em que não reconhece a diversidade sexual como um direito humano. Quando se fala em cura, se fala na verdade que as pessoas estão doentes”, disse Rosário. “Somos cientes da responsabilidade de dialogarmos mais para que o projeto não venha a ser aprovado.”

Questionado sobre às críticas dos líderes da Casa de que não havia clima para votação da proposta diante dele ser alvo das manifestações, Feliciano desconversou. “Não tem nada a ver com as manifestações. O projeto estava para ser votado há dois anos, e o projeto estava vindo sendo votado há dois meses. Isso é regimental. Críticas fazem parte, um país democrático e funciona assim”, disse.

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/06/1297589-feliciano-nega-provocacao-as-manifestacoes-e-recomenda-juizo-a-maria-do-rosario.shtml

FELICIANO.... SAI DESSE CORPO QUE NÃO TE PERTENCE... SÓ PODE ESTAR POSSÚIDO!! :O
--------
Marco Feliciano ameaça 'rebelião' se governo interferir no projeto 'cura gay'
.
Com um discurso inflamado, o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Marco Feliciano (PSC-SP), ameaçou nesta quarta-feira (19) uma rebelião da bancada evangélica --composta por 80 deputados-- caso o governo interfira na votação do projeto conhecido como "cura gay". A mensagem foi dita quando o deputado chegava para uma audiência pública da comissão.

Ao negar que a votação da proposta tenha sido uma provocação às manifestações que tomam as ruas de vários Estados, o deputado disparou ataques a ministra Maria do Rosário (Direitos Humanos) que prometeu mobilizar o governo para evitar que a proposta avance na Casa.

Feliciano recomendou "juízo para a dona ministra", disse que ela "mexe onde não devia" e recomendou que ela procure a presidente Dilma Rousseff porque "o próximo ano" tem eleições.

O projeto permite a psicólogos oferecer tratamento para a homossexualidade --a chamada "cura gay", segundo os críticos da ideia, e terá que passar por outras duas comissões da Casa. Feliciano nega que a proposta tenha essa linha.

"O governo sempre tenta barrar [projetos]. Isso acontece com todos os projetos, não é somente com esse. É o jogo político", disse. "Queria aproveitar e mandar um recado: dona ministra Maria do Rosário dizer que o governo vai interferir no Legislativo é muito perigoso. É perigoso dona ministra principalmente porque ela mexe com a bancada inteira", afirmou.

Segundo o deputado, a ministra deveria procurar a presidente Dilma Rousseff antes de falar. "A ministra falar que vai colocar toda máquina do governo para impedir um projeto. Acho que ela está mexendo onde não devia, senhora ministra juízo, fale com a sua presidente porque o ano que vem é político", completou.

Em 2010, a campanha presidencial foi para segundo turno, sendo que um dos motivos apontados foi a onda de boatos entre eleitores religiosos contra Dilma.

Ontem, a ministra condenou a votação da matéria na comissão. "O projeto significa um retrocesso na medida em que não reconhece a diversidade sexual como um direito humano. Quando se fala em cura, se fala na verdade que as pessoas estão doentes", disse Rosário. "Somos cientes da responsabilidade de dialogarmos mais para que o projeto não venha a ser aprovado."

Questionado sobre às críticas dos líderes da Casa de que não havia clima para votação da proposta diante dele ser alvo das manifestações, Feliciano desconversou. "Não tem nada a ver com as manifestações. O projeto estava para ser votado há dois anos, e o projeto estava vindo sendo votado há dois meses. Isso é regimental. Críticas fazem parte, um país democrático e funciona assim", disse.

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/06/1297589-feliciano-nega-provocacao-as-manifestacoes-e-recomenda-juizo-a-maria-do-rosario.shtml

Curtir ·  · Compartilhar · há 6 horas ·