Qualquer semelhança, não foi mera coincidência

 Gilmar da Rosa – RSS

Qualquer semelhança, não foi mera coincidência

Noreply@blogger.com (gilmar Da Rosa)

Sábado, Agosto 03, 2013, 6:36 pm

BLOGS DE POLÍTICA

 
(tomando apenas esses dois exemplos)

Muitas pessoas se recusam (algumas por incapazes, mesmo; e outras por má-fé) a tentar entender o porquê de Brasil e Uruguai terem, hoje, presidentes presos e torturados pelas ditaduras de ontem.
… 
Onde foi que erramos, se perguntam.

Ambos carimbados como comunistas e terroristas. Ainda hoje muitos pensam assim. 

A pergunta correta a ser feita, no entanto, é: onde foi que eles acertaram?

O máximo que posso fazer é arriscar alguns palpites: 

– Acertaram em ter a convicção de que uma luta só vale à pena se feita em benefício de todos, e não apenas de uns poucos;
– Acertaram em não abandonar suas convicções, ao longo do tempo, em prol das facilidades que o sistema poderia lhes oferecer;
– Acertaram, acima de tudo, porque sabiam que nós, brasileiros e uruguaios, um dia acertaríamos nas nossas escolhas.

Onde foi que erraram?

Erraram – e seguem errando – em um erro primário: pensarem que são superiores a tudo.

Dilma e Mujica são presidentes porque são como nós somos. Porque querem o que queremos. 

É simples, mas tem quem não entenda!