Nem sítio nem triplex, o negócio agora é mansão no Uruguai | GGN

Jornal GGN – Dando sequência à novela do ‘vamos arranjar um crime para Lula’, a revista IstoÉ soltou uma ‘reportagem’ dando conta de que Lula é dono de um imóvel, mais um, desta vez em Punta Del Este

Fonte: Nem sítio nem triplex, o negócio agora é mansão no Uruguai | GGN

 
39 Cubadebate by Cubadebate  /  10h  //  keep unread  //  preview

Tabaré Vázquez buscará nuevamente la presidencia de Uruguay

 
Delicious

 
TwitterFacebookLinkedInBufferMail

+TAG
 
El expresidente uruguayo Tabaré Vázquez confirmó hoy en una reunión con líderes de su partido, el Frente Amplio (FA), que aceptó presentarse como candidato en las elecciones internas en las que su grupo elegirá a su representante para las presidenciales de 2014. En el encuentro Vázquez insistió en que la campaña electoral aún no comenzó pese a este anuncio y que lo único por hacer de momento es apoyar la gestión de Mujica y sus proyectos de mayor envergadura.

Legalização da maconha põe Uruguai na vanguarda

Legalização da maconha põe Uruguai na vanguarda

by luizmullerpt

MujicaO projeto de lei que legaliza a maconha no Uruguai, aprovado na véspera pela Câmara dos Deputados, converte o país em um “experimento de vanguarda” a nível mundial, disse nesta quinta-feira (1º) o presidente José Mujica, responsável pela iniciativa.

 

“Isso tem o caráter de uma batalha em todos os terrenos. Porque temos o mundo para presenciar isso”, disse Mujica em seu programa de rádio.
Ele criticou o narcotráfico, que, segundo ele, tem margens de lucro tão grandes que é capaz “de corromper tudo”.

 

“Em nenhuma parte do mundo a repressão deu resultado”, disse. “Nós queremos parar essa coisa na fronteira, onde começa a adição às drogas. Não é fácil, porque não temos uma receita. Não é simples, estamos conscientes de que estamos fazendo um experimento de vanguarda no mundo inteiro.”

Ele também descartou o fato de a maior parte de seu projeto não receber o apoio de uma parte maior de “uma população envelhecida”.

“É uma batalha pela saúde pública porque, se o consumidor for identificado, podemos interferir quando ele começar a passar dos limites”, explicou.

A Câmara dos Deputados uruguaia aprovou na madrugada de quarta-feira o projeto de lei que legaliza a produção e o consumo da maconha, enviando o expediente ao Senado, também controlado pelos governistas da Frente Ampla.

O texto, aprovado por 50 dos 96 deputados presentes, após quase 14 horas de debate, pretende fazer do Estado uruguaio o primeiro do planeta a assumir o controle de todo o processo de produção e venda da maconha.
Além de legalizar a maconha e ter lançado duras medidas contra o cigarro, em 2006, o governo uruguaio também enviou ao parlamento um projeto de lei para regular o mercado do álcool, principalmente limitando a propaganda de bebidas alcoólicas.

 

DECLARAÇÕES DE MUJICA

Mujica compara mercado ilegal de maconha com prática de abortos clandestinos

by luizmullerpt

Ao falar sobre o projeto de lei para legalizar o consumo e a venda de maconha cedendo o controle ao Estado, o presidente do Uruguai, José Mujica, comparou a situação do mercado ilegal de cannabis com a prática de abortos clandestinos. O Parlamento uruguaio descriminalizou a interrupção da gravidez até a 12ª semana de gestação, por meio do cumprimento de procedimentos regulados pelo Estado.

Para o presidente Uruguaio,  a hipótese de regular o mercado de maconha é  uma tentativa para arrebatar os narcotraficantes e tratar os consumidores problemáticos. “Se permanecem clandestinos ou escondidos não se pode fazer nada por eles”, afirmou à imprensa.

A legalização “tira o problema da sombra e nos permite tentar influenciar” para que a mulher “volte atrás em sua decisão”, argumentou Mujica. “A ideia primária é tratar de ajudá-la e eventualmente convencê-la a evitar o aborto, porque muitas vezes há um problema de falta de meios, solidão, falta de informação ou prejuízos familiares” acrescentou o mandatário, que considera que a legalização do aborto permite salvar vidas.

Mujica considera que o narcotráfico é “mais problemático” que o consumo dessa e de outras drogas, porque “tende a multiplicar” o grau de violência na sociedade, “uma enfermidade que corrói por baixo” na definição de Mujica. “Nunca fumei maconha porque sou de outra época e não defendo nenhuma adicção”, afirmou.

Com informações da EBC