Banho sem água – veja como

See on Scoop.itBOCA NO TROMBONE!

Fonte
Em várias regiões do planeta a água é um bem raro.

See on arquitetandoideias.blogspot.fr

Anúncios

Daily Kos: Cattle—not climate change—killing the Great Barrier Reef

See on Scoop.itBOCA NO TROMBONE!

The Great Barrier Reef is considered one of the great wonders of the world and was granted World Heritage status in 1981. It’s the largest coral reef system composed of over 2,900 individual reefs …

See on www.dailykos.com

Rim Fire Chars 225 Sq. Miles; Threatens SF Power, Water

See on Scoop.itBOCA NO TROMBONE!

The Rim Fire showed no signs of stopping exactly one week after it started, as resources from around the region poured into Tuolumne County amid fears the blaze could threaten the power and water supply to…

See on www.nbcbayarea.com

Desafio urgente: a responsabilidade socio-ambiental das empresas

Leonardo Boff

Já se deixou para trás o economicismo do Nobel, Milton Fridman que no Time de setembro de 1970 dizia:” a responsabilidade social da empresa consiste em maximalizar os ganhos do acionistas”. Mais realista é Noam Chomsky: “As empresas é o que há de mas próximo das instituições totalitárias. Elas não têm que prestar esclarecimento ao público ou à sociedade. Agem como predadoras, tendo como presas as outras empresas. Para se defender, as populações dispõem  apenas de um intrumento: o Estado. Mas há no entanto uma diferença que não se pode negligenciar: enquanto, por exemplo, a General Electric, não deve satisfação a ninguém, o Estado deve regularmente se explicar à população”(em Le Monde Diplomatique Brasil, n. 1,  agosto 2007, p. 6).

Já há décadas que as empresas se deram conta de que são parte da sociedade e que carregam a responsabilidade social no sentido de colaborarem para termos uma sociedade melhor.

Ver o post original 607 mais palavras

Em pouco mais de um mês, metade da neve do Hemisfério Norte se derrete

equipe eCycle

 

Apesar de pouco discutida, situação de aquecimento no Hemisfério Norte está cada vez mais preocupante. Calor não para de subir, e, o gelo, de derreter

O mês de junho de 2013 foi considerado, pela NASA (órgão americano de Administração Nacional de Aeronáutica e Espacial) e NOAA (órgão americano de Administração Nacional de Oceânica e Atmosférica), o mais quente no planeta desde 1800. Mas o que mais surpreendeu os pesquisadores foi a velocidade com que desapareceram a neve presente no Hemisfério Norte e o gelo presente no Mar Ártico.

Em 1967, a cobertura de neve em questão foi considerada a nona maior do mundo, sendo que hoje ela ocupa a terceira posição, só que na lista das menores. Poucas pessoas têm discutido sobre isso.

Entre os meses de abril e maio de 2013, metade da neve existente simplesmente derreteu: ela passou de uma área de 12,4 milhões de km² para apenas 6,2 milhões de km². E isso um tempo considerado recorde, segundo o Laboratório de Neve Global da Universidade Rutgers. Em junho, apenas 2,3 milhões de km² podiam ser vistos, representando um declínio de 63% desde maio. Pesquisadores afirmam que, nos últimos anos, não é mais incomum que a neve do inverno derreta rapidamente.

No verão de 2012, que durou de julho a setembro, a extensão de gelo no Mar Ártico apresentou o seu menor nível, que foi 49% abaixo da média entre os anos de 1979 e 2000. Ainda não se sabe o resultado de julho de 2013, mas parece que as estimativas não são muito animadoras, já que o calor chegou bem forte à região.

O oceano apresenta temperatura mais alta que a média (1°C a 3°C), e, nas primeiras semanas do mês, o gelo diminuiu num ritmo de 132 mil km² por dia. Esta taxa é 61% maior que a ocorrida no intervalo dos últimos 29 anos, que foram de 82 mil km² por dia. A boa notícia é que, por enquanto, a quantidade de gelo no mar, em 2013, é maior em 208 mil km² em relação a 2012.

A calota polar do Ártico tem uma profunda importância na manutenção do equilíbrio de todos os ecossistemas ao redor do mundo. Além de ser um habitat único para muitas espécies.

Fonte: Washington Post

Veja também:

Iniciativa verde

Iniciativa verde

Jornal do Brasil+AAImprimir

Três instituições – Secretaria de Meio Ambiente do Estado, Sindicato das Empresas de Informática-TI-Rio e rede de shoppings Br.Malls – se uniram para, a partir do dia 5 de junho e ao longo do mês, promoverem uma ação legal: eles vão recolher e reciclar lixo eletrônico.

A iniciativa visa dar o fim apropriado aqueles velhos computadores e acessórios sem uso que entulham as casas das pessoas.

Durante a campanha o lixo será coletado por postos em cinco grandes shoppings do Rio e depois levados para três unidades do projeto estadual Fábrica Verde, que funcionam em três favelas pacificadas: Rocinha, Chacrinha e Alemão.