Arcebispo de Salvador se revolta contra PEC 241 | Brasil 24/7

Em uma nota surpreendente, destacada pelo colunista Robson Sávio Reis Souza, o arcebispo Dom Murilo Krieger, da Arquidiocese de Salvador, “não somente faz uma defesa contundente do posicionamento vigoroso da CNBB desta semana contra a PEC 241 (agora PEC 55, no Senado), como vai além. Diz, por exemplo, que ‘para o capital mundial, esta PEC é tudo o que ele gostaria de ver aprovado. Os bancos, que já ganharam muito nos últimos anos, vão ganhar ainda mais. Sobrará dinheiro para investirem na imprensa, dizendo que esse sacrifício é mesmo necessário para o bem ‘do Brasil’. Dom Murilo pergunta: ‘Se a PEC 241 é tão boa assim, porque seu conteúdo não foi colocado para a sociedade discutir? Por que foi aprovada pela Câmara Federal tão rapidamente?'”

Fonte: Arcebispo de Salvador se revolta contra PEC 241 | Brasil 24/7

 Início

O Papa paga “religiosamente” sua mensalidade de sócio do San Lorenzo

Cepat.cepat@terra.com.br (jonas)

Quarta-feira, Agosto 07, 2013, 10:10 am

COMPORTAMENTO, CULTURA

Francisco possui muitas preocupações na cabeça, mas nunca se esquece de pagar mensalmente a contribuição de sócio de seu querido clube San Lorenzo de Almagro.

A reportagem é publicada no sítio Religión Digital, 06-08-2013. A tradução é do Cepat.


 
Fonte: http://goo.gl/zRj6Vn  

“Emociona-me que seja torcedor do San Lorenzo, fizemos dele sócio, paga sua mensalidade religiosamente por débito automático, está credenciado… Paga a mensalidade, está em dia”, revelou Marcelo Tinelli, vice-presidente do clube, na segunda-feira, em conversa com o canal Fox Sports.

Tinelli, um famoso diretor da televisão argentina e poderoso empresário, adiantou que, em breve, terá uma audiência com o Papa, quando viajará para Roma junto com a delegação de dirigentes que acompanharão a seleção ao selecionado albiceleste para jogar um amistoso com a Itália, no dia 14 de agosto, em homenagem ao Sumo Pontífice.

“Vamos cumprimentá-lo quando a seleção for jogar com a Itália, esse momento será de muita emoção, espero não chorar. Quero agradecê-lo por tudo o que faz pelos católicos, os pobres, sua mensagem, a limpeza da Igreja e tudo o que oferece ao San Lorenzo, porque o clube ficou ainda mais conhecido no mundo em razão de sua ascensão”, disseTinelli.

Assim que se soube que Jorge Mario Bergoglio, cardeal da Argentina, foi eleito papa, oSan Lorenzo ganhou fama mundial por ser o clube de seus amores. Francisco sempre muda o semblante quando um fiel se aproxima com uma bandeira ou um objeto ligado aoCiclone, como é chamado.

Um dos fundadores do clube, em 1908, foi o padre Lorenzo Massa, o que explica o fato de muitos religiosos se simpatizarem com esta equipe. Os torcedores do San Lorenzosão chamados de “corvos” por causa da batina preta dos sacerdotes.

No domingo, o San Lorenzo venceu por 2 a 1 o Olimpo, na primeira partida do torneio Inicial. Foi para o campo com um novo uniforme relacionado ao Papa: uma auréola sobre o escudo da equipe, tanto na camisa como no calção.

 APOSENTADO INVOCADO – RSS

Ontem, dia 25 de julho de 2013, um dos comentaristas do ‘Estúdio i’, programa da Globonews, confortavelmente sentado no sofá, após o almoço, disse que as autoridades deveriam prever exatamente as chuvas e que são todos irresponsáveis e incompetentes. É t

Noreply@blogger.com (helio Borba)

Friday, July 26, 2013, 7:59 am

BLOGS DE POLÍTICA

Papa considera prudente mudança de Guaratiba para Copacabana, diz porta-voz do Vaticano

 
Rodrigo Bertolotto
Do UOL, no Rio
O papa Francisco considerou prudente a decisão das autoridades de trocar o local da vigília e da missa de encerramento de Guaratiba, na zona oeste, para Copacabana, na zona sul da cidade. Segundo o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, a ideia de trocar o Campus Fidei pela praia partiu das autoridades locais e se deve às más condições climáticas.
Lombardi disse que o papa foi consultado por telefone sobre a mudança à tarde e considerou a decisão prudente.  “Ele considerou não expor os jovens a uma zona úmida e pouco saudável”, afirmou Lombardi.
O Vaticano evitou criticar a Prefeitura e atribuiu os problemas no Campus Fidei, que vinha sendo preparado desde o ano passado para receber a jornada, ao mau tempo. “Os dias não foram bons e isso tem sua consequência. Em Copacabana é mais fácil superar as dificuldades. Em Guaratiba a coisa estava muito séria.”
Para o diretor do comitê organizador, padre Márcio Queiroz,  a chuva que caiu sobre a cidade nesta semana não estava prevista para esse períodos. “Eu rezei para Santa Clara e São Pedro e eles não me atenderam.”
Lombardi evitou comentar os gastos com a preparação do Campus Fidei em Guaratiba.
Além de provocar a mudança da vigília e da missa de envio da JMJ (Jornada Mundial da Juventude) do Campus Fidei , em Guaratiba (zona oeste do Rio) para a praia de Copacabana, o frio e a chuva que atingem a capital fluminense provocaram o fim de um dos eventos mais importantes da Jornada: a peregrinação, uma caminhada que os fiéis fazem antes de chegarem ao local da vigília.
Em Guaratiba, os peregrinos teriam de caminhar 13 km para chegar ao Campus Fidei, onde poderiam acampar na noite de sábado (27), para esperar no local a missa de envio, que seria celebrada pelo papa Francisco na manhã do domingo (28).
A mudança para Copacabana não significava necessariamente o fim da peregrinação, mas a organização tomou a decisão de não realizar a caminhada dos peregrinos nas areias de Copacabana.
“Foi uma decisão difícil, mas responsável, pensando sempre na segurança do nosso peregrino. Copacabana sempre foi o nosso plano B, que agora teremos que colocar em prática”, explicou dom Paulo Cezar Costa, vice-presidente do Comitê Organizador.
Diferentemente do que aconteceria em Guaratiba, onde os participantes passariam toda a noite em vigília, em Copacabana a programação será encerrada após a Vigília de Oração com o papa Francisco, prevista para começar no sábado (27), às 19h30.  A atividade retornará no domingo (28), às 10h, com a presença do pontífice para a celebração da missa de envio.

Quem está bancando a visita do Papa, segundo noticia na Monica Bergamo

 Blue Bus

Quem está bancando a visita do Papa, segundo noticia na Monica Bergamo

Julio Hungria

Tuesday, July 23, 2013, 8:18 am

DE TUDO UM POUCO

Entre varios bancos de varejo (Bradesco, Itaú e Santander) e empresas (Ferrero, Nestlé e McDonald’s), o banco Opportunity tambem “deve ajudar a financiar a vinda do papa Francisco ao Brasi”, segundo notcia hoje na Monica Bergamo. Todos vao para o Céu. Monica revela negociaçao do banco com a Mitra Arquiepiscopal do Rio, órgao responsável pelo patrimônio da Igreja – para o arrendamento de um imóvel no centro da cidade. O Oportuniry poderá ocupá-lo por duas décadas. Em troca, desembolsa agora cerca de R$ 20 milhoes “para ajudar a cobrir as despesas da viagem do santo padre ao país”.

O post Quem está bancando a visita do Papa, segundo noticia na Monica Bergamoapareceu primeiro em Blue Bus.

Foto do dia

 Início

Foto do dia

Inacio@unisinos.br (inácio Neutzling)

Monday, July 22, 2013, 6:47 am

COMPORTAMENTO, CULTURA

Na manhã de hoje, Papa Francisco embarca no avião, no aeroporto Fiumicino, em Roma, levando na mão esquerda a sua bagagem. Francisco é o quarto Pontífice que viaja de avião. Mas um Papa carregando a bagagem de mão nunca se tinha visto.

Foto: Imagoec

Redes sociais convocam protestos contra visita do papa

 Início

Redes sociais convocam protestos contra visita do papa

Inacio@unisinos.br (inácio Neutzling)

Monday, July 22, 2013, 8:47 am

COMPORTAMENTO, CULTURA

A recepção ao papa Francisco no Palácio Guanabara (sede do governo fluminense, na zona sul do Rio) será marcada por protestos convocados pelas redes sociais pelo grupoAnonymous Rio e pela Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (Atea). A manifestação do Anonymus questiona os gastos públicos com a recepção ao pontífice e pede a saída do governador Sérgio Cabral e do vice Luiz Fernando Pezão, ambos do PMDB. Eles recepcionarão o papa. A solenidade está marcada para as 17h no palácio, com a presença da presidente Dilma Rousseff e do prefeito Eduardo Paes.

A reportagem é de Antônio Pita Sérgio Torres e publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, 22-07-2013.

Os manifestantes se concentrarão a partir das 18h no Largo do Machado, a 1 km do Guanabara. O grupo planeja seguir até o palácio. Na página de convocação ao evento, mais de 7 mil pessoas confirmaram presença. De acordo com a prefeitura, toda a rua em frente ao palácio estará fechada por medida de segurança.

Na convocação, o grupo esclarece que a manifestação não é contra a presença do papa nem contra a Igreja Católica. “A ideia é aproveitar a presença do papa, de seus turistas e da mídia global. Será mais um grito contra a corrupção e por serviços públicos mais dignos.” A pauta divulgada pelo grupo questiona os gastos públicos estimados em R$ 118 milhões para a organização da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) e defende o estado laico.

Atea anunciou que promoverá às 17h manifestação em frente ao palácio. Temerosa de uma reação da Polícia Militar, a entidade tentou no fim de semana uma liminar judicial que proibisse a repressão policial. No sábado, a Justiça negou a liminar. A entidade recorreu. Manifestações do tipo serão promovidas pela entidade em outras capitais brasileiras, como Belo Horizonte e São Paulo, além de cidades importantes, como Ribeirão Preto(SP).

“Assim como o batismo de crianças lhes impinge uma religião, o sequestro do Estado para fins religiosos faz o mesmo com todos os demais cidadãos brasileiros, que se tornam católicos à força quando o dinheiro dos seus impostos é desviado para pagar um evento religioso. Por isso, para simbolizar o protesto contra as violações da laicidade, escolhemos o desbatismo”, informa a Atea em comunicado distribuído na semana passada. No protesto, a entidade promoverá o que chamou de “desbatismo coletivo”, em que os manifestantes usarão secadores de cabelo “para os ventos do secularismo varrerem as águas do batismo”. “Se você não concorda com o uso de dinheiro público na JMJ, com símbolos religiosos em repartições públicas, o ´ Deus seja louvado` no dinheiro, o ensino religioso em escolas públicas..

Se você acha que barrar a camisinha e a pílula no sistema público é um absurdo, se não concorda com o veto da Igreja Católica ao divórcio, se ainda não se conformou com o acobertamento de pedófilos e a discriminação contra homossexuais… Enfim, o desbatismo é para todos aqueles que desejam protestar”, diz o documento

Protestos chegam ao caminho dos peregrinos. Espanhola é presa durante passeio por ruas do Leblon. Voluntários temem pela segurança de visitantes

 Início

Protestos chegam ao caminho dos peregrinos. Espanhola é presa durante passeio por ruas do Leblon. Voluntários temem pela segurança de visitantes

Inacio@unisinos.br (inácio Neutzling)

Friday, July 19, 2013, 8:25 am

COMPORTAMENTO, CULTURA

Os protestos no Leblon na noite de quarta-feira se chocaram com a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Na confusão, uma peregrina espanhola chegou a ser detida. Apesar da possibilidade de ocorrerem novas manifestações na semana que vem, os peregrinos afirmam ter confiança de que não haverá problemas. Os voluntários que os acolhem, porém, mostram-se mais preocupados. A peregrina espanhola, por exemplo, apenas caminhava quando foi detida e levada para a 14ª DP (Leblon), conta o advogadoGustavo Proença, integrante da comissão de Direitos Humanos da OAB e coordenador dos plantões da entidade durante os protestos.

“Ela foi detida com um grupo de 50 pessoas. No entanto, esse procedimento não é permitido pela Constituição. Ao sair da delegacia ela não quis dar qualquer declaração, apesar de estar assustada”, afirmou o advogado, lamentando o fato de a peregrina não ter deixado contato.

A reportagem é de Thiago JansenRoberta Salomone e Barbara Marcolini e publicada pelo jornal O Globo, 19-07-2013.

O peregrino venezuelano Eduardo Barrios, de 21 anos, disse, após ver a violência no Leblon, que está acostumado com protestos mais exaltados em seu país. Mas admitiu ter se surpreendido.

“Os protestos daqui já estão sendo noticiados na Venezuela há algum tempo. Isso me surpreende porque tinha a percepção do Brasil como uma potência da América Latina e, por isso, achava que o país não tivesse grandes problemas. Acho que estava enganado”, disse Barrios, ao retirar seu kit peregrino no Sambódromo.

Hospedado com uma família em São Gonçalo, ele contou ter recebido, antes da viagem, orientações de segurança, como evitar aglomerações desconhecidas e fugir em caso de confrontos.

Alojado temporariamente em um hostel em Copacabana, o sacerdote argentinoAlejandro Lich chegou na quarta-feira. Acostumado a protestos em seu país, ele afirmou que, desde que não sejam violentos, os atos são legítimos. Com relação à possibilidade de manifestações durante a JMJ, ele garantiu não estar preocupado: “A expectativa é a melhor possível”

Já Esperança Alvarez Moller, de 71 anos, moradora do Leblon, não está assim tão tranquila. Ela já recebeu uma das três peregrinas que ficarão em sua casa durante a Jornada.

“A dominicana Ester tem 24 anos e estava dormindo quando tudo aconteceu. Senti-me na obrigação de contar, e ela achou muito estranho o fato de a polícia não ter conseguido conter a manifestação”, disse Esperança. “Sou avó e sei que ela é uma menina de família. Fico preocupada.”

Padre: ‘Eles estão aqui em missão de paz’

A aposentada Elizabeth Santos Brandão, de 64 anos, também moradora do Leblon, vai acolher quatro peregrinos. Ela teme que algum deles se machuque durante os protestos: “Acho que alguém poderia propor uma trégua de protesto durante a Jornada. Os peregrinos não têm nada a ver com os problemas do país”.

Todos os peregrinos receberão um guia de segurança, já usado em outros eventos. As orientações incluem não falar ao celular na rua, não ostentar joias ou equipamentos, não sair com cartões de banco e evitar andar sozinho em locais desertos ou pouco iluminados. A Secretaria de Segurança do Estado do Rio não pretende produzir material adicional, apesar de as manifestações terem sido listadas, pelo Centro de Inteligência Nacional, como uma das seis fontes de ameaça à JMJ.

A maior preocupação diz respeito ao encontro do Papa com o governador Sérgio Cabrale a presidente Dilma Rousseff na próxima segunda-feira, no Palácio Guanabara, onde já houve protestos. Mas para o padre Jorjão, da Igreja Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, não há o que temer: “Tenho certeza de que os jovens que vão às manifestações sabem que os peregrinos estão aqui em missão de paz. Acredito que o exemplo dos peregrinos por si só acaba inibindo a violência”.