Dear Scorpian

spiritsights

Rush is known to hold their thoughts,

But you and I can slow down the fall,

And simply assembles the symbols in grace,

The empty smiles would come down with flaws,

Scattered naked under the Eagle’s thought.

We have the poison that can hold their nerves,

One reason for the shallow hold of their verse.

But the blue ocean, that we adore,

Can hold the poison till we are threatened with a sword,

Till the ocean would flood into the streams of our words.

We can stay and listen to the music of the shore,

In the serene eyes of the spirit, we adore,

Come around and we shall sing for long,

Keeping the secrets under the rhythm of the song.

Ver o post original

O prazer pela inquietação | Entrevista para o Pop&Arte

Dênisson Padilha Filho

Criação literária, memórias, rupturas, o prazer pela inquietação, mercado, realização.

Minha perseguição como escritor é reacender as indagações que são inadiáveis de cada ser humano. Muito mais do que trazer respostas. Seria uma tarefa muito árdua a gente buscar respostas ou prometer respostas através da literatura, quando na verdade ela é a reafirmação dessas perguntas que nos estruturam.

Se eu tô vivo e tô realizado, ou eu vou morrer daqui a pouco, quando sair do estúdio, ou então tem alguma coisa melhor pra eu descobrir, né? Então a busca é eterna.

Entrevista com o escritor Dênisson Padilha Filho em que ele fala sobre seu novo livro Eram olhos enfeitados de Sol (Penalux, 2017, novela), recentemente lançado.

Ver o post original